Segunda, 15 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Sergipe participa da COP 28 para defender o bioma caatinga e captar investimentos para ações de enfrentamento à mudança do clima


Avatar

Publicado em 01 de dezembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


A Caatinga em Sergipe representa uma área de 3.146,37 km² (Arthuro Paganini/ASN)

A delegação sergipana já chegou à 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP 28, que acontece de 30 de novembro a 12 de dezembro em Dubai, nos Emirados Árabes. Com representantes da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac) e da Agência Sergipe de Desenvolvimento (Desenvolve-SE), o Governo do Estado participa do evento com o intuito de defender o Fundo da Caatinga, buscar investimentos em projetos de enfrentamento à mudança do clima, e socializar com a comunidade internacional o protagonismo na transição energética no país, o qual desempenha um papel significativo na construção de um futuro mais limpo e sustentável.
De acordo com a secretária de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas, Deborah Dias, a pauta das mudanças climáticas e a mitigação dos seus efeitos também são prioridades do Estado de Sergipe. “Estamos na Conferência das Nações Unidas para discutirmos sobre o clima, um evento de extrema importância e relevância para todo mundo. Estaremos no painel, ao lado do Consórcio Nordeste, fazendo a defesa do nosso bioma Caatinga. Ainda dentro da programação oficial da COP, vamos debater os desafios no enfrentamento às mudanças climáticas, e temos uma reunião com investidores para buscar investimentos em projetos de resiliência climática para Sergipe”, destacou.
A agenda de Sergipe na COP 28 contará com encontros estratégicos para apresentações de projetos e potencial energético. Uma das ações é o “Sergipe Menos Carbono”, medida prioritária do estado na mitigação das mudanças climáticas. A iniciativa tem como objetivo minimizar a degradação dos ecossistemas mais abundantes do território sergipano, os manguezais e a caatinga, por meio da ampliação de viveiros de mudas dos biomas, implementação de novos centros de produção de mudas nativas e ações de educação ambiental, com foco no estoque de carbono.
Outra agenda de Sergipe no evento será a defesa do Fundo da Caatinga, pauta levada pelo Consórcio Nordeste. Exclusivamente brasileira, a Caatinga ocupa mais de 90% do território nordestino e está passando por crescentes ondas de desmatamento e desertificação. Nesse sentido, o projeto visa captar investimentos para preservar este bioma e toda a sua biodiversidade.
A Caatinga em Sergipe representa uma área mapeada de 3.146,37 quilômetros quadrados de remanescentes florestais, sendo 31,1% da região semiárida, contando ainda com uma Unidade de Conservação Estadual, o Monumento Natural Grota do Angico, localizado entre os municípios de Canindé de São Francisco e Poço Redondo.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade