Domingo, 14 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Taxista é preso por estuprar criança de 11 anos


Avatar

Publicado em 17 de agosto de 2012
Por Jornal Do Dia


O taxista Gicélio da Silva Lessa, 51 anos, foi preso às 6h de ontem no Cj. João Alves, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju), por policiais civis do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV). Ele é acusado de abusar sexualmente de uma menina de 11 anos, filha de uma amiga dele, e foi denunciado à polícia depois de ser flagrado fazendo sexo anal na criança, na última sexta-feira. O flagrante foi feito por uma vizinha da família, que gravou tudo com um telefone celular. Os agentes cumpriram um mandado de prisão expedido pela 11ª Vara Criminal de Aracaju. Gicélio nega o crime, mas as acusações são confirmadas tanto pela família da garota quanto pela polícia.

A mãe da vítima, uma vendedora ambulante, afirma que o taxista era considerado uma pessoa de confiança e não levantava nenhuma suspeita. Segundo ela, o assédio do acusado à menina aconteceu durante cinco meses e o flagrante aconteceu quando outra amiga da vendedora foi à casa dela, no bairro Siqueira Campos (zona oeste). "Eu estava trabalhando, ele se aproveitou dessa situação, quando eu não estava em casa, para usar a minha filha. Ele era uma pessoa muito amiga nossa e tinha livre acesso lá em casa, porque achava que ele era de confiança. Ele era como se fosse um irmão, um pai pra mim. Nunca imaginei que essa crueldade fosse na minha casa, no meu quarto, na própria cama", desabafou ela.

Ainda segundo a vendedora, a filha tinha sido estuprada outras duas vezes, na quarta e na quinta-feira da semana passada. Segundo a polícia, a confiança dela em Gicélio fez com que ela não percebesse o assédio e as mudanças de comportamento da filha, mesmo com os avisos. "A vítima vinha avisando a mãe sobre os abusos, mas por conta do grau de confiabilidade debitada no autor ninguém dava atenção à criança. A vizinha então combinou um flagra com vítima, gravando uma das ações do abusador", disse a delegada Lara Schuster Batista, do DAGV.

A polícia diz também que o taxista fez ameaças e até oferecia dinheiro à menina. A vendedora conta que só ficou sabendo dos abusos porque a menina contou tudo para a filha da mulher que flagrou o estupro na sexta-feira. "Ele ameaçava a minha filha, dizendo que se ela me contasse, eu iria bater nela. A menina ficou com medo de me contar e ela foi falar para a filha da minha amiga, que são de idade parecida. E a menina contou para a mãe", disse. A mesma oferta de dinheiro foi feita para a vizinha da vítima, que recusou tudo e chamou a amiga para acompanhá-la à Delegacia Plantonista (Centro), onde a queixa foi prestada.

Desmascarado – Em depoimento no DAGV, Gicélio negou ter estuprado a menina e disse ter sido vítima de uma "armação" preparada pela mãe e da vizinha. A delegada Lara Schuster suspeita que o taxista tenha procurado um advogado antes de ser preso. "Ele nega, parece muito bem orientado, mas entendemos que o lastro probatório está bastante robusto. Nos casos de crimes sexuais, a gente trabalha sem a presença de testemunhas, e nesse caso especifico, além da vítima apresentar uma versão muito segura com todos os indícios de abuso, temos uma testemunha que presenciou e gravou tudo", disse a delegada.

Um laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML) confirmou a existência de fissuras no ânus da garota, o que comprova os abusos. O DAGV aguarda apenas a conclusão formal dos laudos médicos para entregar o inquérito à Justiça. A menina já está sob tratamento médico e psicológico prestado pela Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL). O taxista, que é casado e evangélico, permanece preso à disposição da Justiça. (Gabriel Damásio)

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade