Sábado, 20 De Julho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

'Uma longa viagem' estreia em festival


Publicado em 19 de junho de 2012
Por Jornal Do Dia


A história passada a limpo

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

O poder de comunicação da sétima arte poucas vezes se prestou a propósito tão nobre. O primeiro festival Cinema pela Verdade, abrigado pelas nossas principais universidades, lança luz sobre a sombra que envolve a memória brasileira, levando uma angústia esclarecedora para os quatro cantos do país. Os anos de chumbo estão sendo relatados pelo olhar dos realizadores nacionais nas 27 capitais brasileiras, por meio de exibições gratuitas seguidas de debates com a presença de convidados. Aqui na terrinha, é a vez do inédito "Uma longa viagem", de Lucia Murat, passar a história a limpo.
Premiado no Festival de Paulínia (pela crítica) e Gramado (Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Direção de Arte, Prêmio do Júri Popular e Prêmio Estudantil) a obra conta uma história autobiográfica, relembrando a vida da diretora e a de seus dois irmãos. Nos anos 70, Lúcia foi presa pela ditadura por seu trabalho de militante enquanto seus dois irmãos tomam caminhos diferentes.
De acordo com Marcos Mota, responsável pelas exivições do festival na capital sergipana, o filme deve surpreender. "Lucia é a narradora principal, utilizando fotos e imagens antigas, mas principalmente recriando as cartas e algumas situações através de sets e cenas especialmente montadas, usando com criatividade a interpretação do sempre bom ator Caio Blat. Não é como a maioria dos filmes um suceder de talking heads, cabeças que falam sobre os assuntos".

Cinema pela Verdade – O cinema sempre foi um instrumento indispensável para o resgate da memória de um país. Prova disso, o cinema brasileiro de tempos em tempos se volta para os chamados anos de chumbo, quando os monstros a serviço de uma ditadura militar perpetraram todo tipo de atrocidades, maculando a democracia brasileira.
Para resgatar este período marcante da história brasileira, o "Cinema pela Verdade" selecionou três documentários que trazem diferentes enfoques sobre o tema: Cidadão Boilsen (2009) de Chaim Litewski; Condor (2007), de Roberto Mader; e Hercules 56 (2006), de Silvio Da-Rin. Além desses, o projeto também vai contar com a participação especial de mais duas obras: Diário de uma Busca (2010), de Flavia Castro; e Uma longa Viagem (2011), de Lucia Murat, lançamento nacional de 2012.
Após cada exibição é promovido um debate com acadêmicos, pesquisadores, integrantes de movimentos sociais e culturais, além dos próprios diretores ou equipe de produção dos filmes. A ideia é promover a oportunidade necessária para a troca de conhecimento e experiências, fomentando assim a discussão.
O "Cinema pela Verdade" foi contemplado pelo edital "Marcas da Memória", da Comissão da Anistia, que visa a promoção de eventos e projetos em geral com foco no período da ditadura militar no Brasil. O festival é produzido pelo Instituto Cultura em Movimento (ICEM), organização da Sociedade Civil de interesse Público (OSCIP), fundada em 2002. Nascido da bem sucedida experiência do projeto "Cinema em Movimento", rede nacional de agentes culturais, organizada em torno da distribuição gratuita de filmes brasileiros, o ICEM atua em todas as 27 unidades da federação.

Participação – Em homenagem ao cineasta Carlos Reichenbach será exibido o curta
"Soberano" de Ana Paula Orlandi e Kiko Mollica que resgata a trajetória do bar  Soberano, símbolo da intensa e espontânea produção do movimento cinematográfico da Boca do Lixo. A homenagem conta com apoio do NPD Orlando Vieira.

Estreia de Uma longa viagem

Local: Auditório Bloco D (Unit Farolândia)
Data: 19 de junho
Hora: 19 horas

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade