**PUBLICIDADE
Publicidade

Celebrando a arte de recomeçar quantas vezes forem preciso


Avatar

Publicado em 06 de março de 2024
Por Jornal Do Dia Se


* GREGÓRIO JOSÉ

No teatro efêmero da existência, a força de vontade emerge como o protagonista indomável, guiando-nos por uma trama intricada de desafios e renascimentos. A exortação “Orgulhe-se! Da sua jornada, da sua história, da sua capacidade de recomeçar!” ressoa como um lembrete profundo de que a vida é uma narrativa em constante evolução, onde cada capítulo, por mais desafiador que seja, contribui para a tessitura única de nossa existência.
A jornada da vida é como uma tapeçaria complexa, tecida com os fios da superação, da resiliência e da força interior. Orgulhar-se da própria história não é apenas um ato de reconhecimento, mas uma celebração da capacidade intrínseca de se refazer a cada dia. É compreender que, no tecido da vida, as cicatrizes não são marcas de fraqueza, mas testemunhas silenciosas da coragem que reside em enfrentar as adversidades de cabeça erguida.
A reflexão profunda sobre a frase “Quem vive olhando só para o que falta, não consegue ver o que já tem” revela a importância de direcionar o olhar para as conquistas, por menores que sejam, e cultivar a gratidão. A força de vontade encontra solo fértil na capacidade de reconhecer que, mesmo diante das incompletudes, somos detentores de riquezas interiores que moldam nossa essência.
“Respire. Repense. Reajuste. Recomece quantas vezes for preciso!” é um convite à renovação constante, um lembrete de que a vida é um constante movimento. A respiração é o elo entre o presente e o futuro, o ato de inspirar esperança e expirar as dúvidas que podem obscurecer o horizonte. O repensar é o exercício de questionar, aprender e adaptar-se, enquanto o reajuste representa a habilidade de moldar-se às circunstâncias em evolução.
Recomeçar, por sua vez, é o ato corajoso de se reinventar, de abrir um novo capítulo mesmo quando as páginas anteriores foram marcadas por desafios. A vida é um eterno renascimento, e a força de vontade é o fio condutor que nos impulsiona a escrever uma história de resiliência, coragem e autenticidade.
Desta maneira é preciso vislumbrar esse palco efêmero, onde precisamos abraçar a força de vontade como um aliado intrépido, conscientes de que cada respiração, cada reflexão e cada recomeço são movimentos harmoniosos que compõem a sinfonia da existência humana.

* Gregório José, Jornalista/Radialista/Filósofo

 

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade