Segunda, 15 De Abril De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Controladoria anuncia dívidas da Emsurb e Emurb


Avatar

Publicado em 05 de maio de 2013
Por Jornal Do Dia


As empresas municipais de Obras e Urbanização (Emurb) e Serviços Urbanos (Emsurb) causaram juntas um prejuízo aos cofres do município de Aracaju de aproximadamente R$ 50 milhões. É o que garante o secretário-chefe da Controladoria Geral do Município, Lion Schuster, após a realização de auditoria e análise da Prestação de Contas da administração anterior, feita pela CGM. "Esses números assustam qualquer administrador público e os que provocaram os danos serão passíveis de punição pelos órgãos de controle externo".

A CGM detectou que a Emsurb deixou um prejuízo acumulado de R$ 24 milhões, enquanto que o prejuízo da Emurb totaliza R$ 23 milhões. Esse é o resultado da análise da prestação de contas e avaliação patrimonial, econômica e financeira da empresa, referente ao exercício de 2012, gestão Edvaldo Nogueira, de acordo com informações prestadas pelo secretário-chefe da Controladoria Geral do Município, Lion Schuster.

Segundo o Controlador, essa análise criteriosa da prestação de contas faz parte do programa de trabalho da CGM, que é eminentemente técnico. "Nós apuramos esses enormes prejuízos gerados na gestão anterior. Para o secretário-chefe da CGM houve inabilidade, inobservância e descaso com o dinheiro público por parte dos gestores da administração passada.

Quanto às irregularidades na prestação de Contas, Schuster relatou que entre outras, há uma divergência entre os valores totalizados nas contas móveis, utensílios e máquinas, equipamentos e instalações, confrontadas no balancete de verificação e no balanço patrimonial, devendo esta diferença ser identificada.

A Controladoria concluiu ainda que a Prestação de Contas da Emurb referente ao exercício de 2012, de responsabilidade do Osvaldo Alves do Nascimento Filho, no governo Edvaldo Nogueira, foge aos padrões de contabilidade exigidos pela legislação em vigor. "Nós vamos cumprir o nosso papel constitucional indicando aos órgãos externos as irregularidades encontradas na gestão anterior", finalizou Schuster.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade