Sexta, 23 De Fevereiro De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Prédio que desabou parcialmente está sendo demolido


Avatar

Publicado em 09 de janeiro de 2024
Por Jornal Do Dia Se


Sem prazo para encerrar as atividades, profissionais de uma empresa terceirizada, com vínculo com a Emurb, estão procedendo com uma demolição controlada da estrutura residencial que colapsou no dia 31 de dezembro do ano passado, e resultou na morte de seis pessoas. Os trabalhos técnicos, os quais foram iniciados na manhã do último sábado, 06, tem como objetivo central minimizar os riscos de novos acidentes, bem como preservar a integridade das construções vizinhas; essas estruturas – conforme destacado pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBMSE), e Defesa Civil Estadual -, não foram prejudicadas pelo impacto do desabastecimento.
Mesmo diante desta constatação registrada por peritos, os próprios técnicos compreendem que um novo desmoronamento do antigo prédio residencial, neste segundo colapso, pode provocar danos em construções circundantes, capazes de possibilitar desabamento paralelo ao ponto inicial. De acordo com a Prefeitura de Aracaju, nas primeiras 48 horas de serviço foi removido toda a área antes pertencente ao apartamento superior, e iniciado o processo de retirada da laje que ficou pendurada. Com o apoio de profissionais da Defesa Civil Municipal, por tempo indeterminado a área do prédio – no bairro Santo Antônio, zona Norte da capital sergipana -, segue interditada. Está medida também visa diminuir os riscos de acidentes com pedestres.
O colapso que deixou quatro pessoas soterradas, entre elas ítalo Miguel, de 11 meses, que morreu momentos depois de ser resgatado, apresentava irregularidades e estava há um ano sem acompanhamento presencial de um engenheiro responsável. As informações foram dadas pelo CREA-SE (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe). No ano de 2016 o próprio CREA deliberou favorável à cassação do registro profissional por entender que o engenheiro não atuava de forma ética e responsável; já em 2019 o Tribunal Regional Federal da 5ª região decidiu por restabelecer o registro profissional do engenheiro.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade