Domingo, 23 De Junho De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

PRF faz operação padrão na BR-235


Publicado em 10 de agosto de 2012
Por Jornal Do Dia


a OPERAÇÃO PADRÃO DA PRF PROVOCOU GRANDE CONGESTIONAMENTO NA SAÍDA DE ARACAJU.

Milton Alves Júnior

Num impasse que já dura mais de dois meses, servidores federais continuam de braços cruzados, e por tempo indeterminado. Na manhã de ontem, uma Operação Padrão promovida por policiais rodoviários foi realizada com a finalidade de reivindicar uma reestruturação da carreira e o aumento do efetivo no Estado de Sergipe através de concursos públicos. Fechando um lado da BR-235, nas proximidades do Posto de Fiscalização da companhia federal, os agentes vistoriaram todos os veículos que transitavam pela via. Com a operação, inúmeras multas foram aplicadas após diversos tipos de infração terem sido identificadas.

Conforme declarações do agente Dorvercino Borges Neto, Presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários do Estado de Sergipe (SINPRF/SE), até o momento a categoria não decidiu se irá aderir à greve nacional, porém alerta para essa possibilidade já na próxima semana. "Percebemos que o governo não tem apresentado interesse em debater essas reivindicações conosco. De fato, ainda não estamos em greve, mas pelo que se percebe, a tendência é que essa adesão ao Comando Geral de Greve Unificado não demore muito para ocorrer aqui em nosso Estado", declarou. Para discutir o assunto, uma assembléia extraordinária está marcada para a próxima segunda-feira, 13.

UFS e Embrapa –  Já os professores da Universidade Federal de Sergipe (Adufs), em greve há quase três meses, continuam sem ministrar aulas na esperança de receber uma contra proposta que satisfaça a categoria. Questionado quanto ao prejuízo educacional proporcionado aos quase 30 mil alunos da instituição federal, Marcos Pedroso, vice-presidente da Adufs, garantiu que essa mobilização visa além de beneficiar os servidores e docentes, qualificar o ensino e fornecer um conteúdo metodológico mais atualizado. "Parte dos estudantes aparentemente está disposta e contribuindo com os nossos pleitos, e entendem que esse é o momento ideal para que possamos batalhar por uma melhor educação pública", disse.

Também pleiteando reivindicações, os servidores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), regional Sergipe, chegaram a promover greve de advertência no último mês de julho, porém perceberam que as negociações estavam sendo atendidas gradativamente. Por não concordarem com o aumento de 5,1%, o acordo coletivo não foi fechado, e os trabalhadores continuam reivindicando melhorias nas condições de trabalho, manutenção do acordo coletivo da categoria e reajuste salarial acima do valor da inflação. "Nenhuma dessas pautas foram atendidas. Apesar de não estarmos em greve, não significa que deixamos a luta de lado, muito pelo contrário. A questão agora é judicial e nós iremos lutar até as últimas conseqüências", alegou Saulo Coelho, representante do Sindicato dos Servidores Federais em Sergipe.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade