Sábado, 18 De Maio De 2024
       
**PUBLICIDADE
Publicidade

Sergipe realiza primeiro parto em gestante com morte encefálica


Avatar

Publicado em 10 de maio de 2024
Por Jornal Do Dia Se


A equipe médica com o recém-nascido (Flávia Pacheco/SES)

A equipe do Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse) garantiuum feito inédito e histórico para a saúde sergipana: salvar a vida do bebê de uma gestante com morte encefálica. O caso é considerado raro no mundo. No Brasil, existem relatos de apenas cinco casos na literatura científica.
O caso teve início quando a jovem K.L.D.S, 20 anos, grávida de aproximadamente 22 semanas, deu entrada no Huse no dia 17 de abril, com uma grave lesão no crânio provocada por arma de fogo.
Mesmo com todo o trabalho da equipe multidisciplinar e acompanhamento intensivo para salvar a vida da jovem, foi fechado o protocolo de morte encefálica da paciente em menos de uma semana após a internação. Depois da constatação, a equipe do hospital iniciou outro processo desafiador para garantir a continuidade da gestação e salvar a vida do bebê.
“Ao percebermos a gestação, verificamos a viabilidade fetal e fizemos um esforço conjunto de toda a equipe para que, além da manutenção dos sinais vitais da mãe, pudéssemos manter a gestação até o momento em que fosse viável realizar o parto. A paciente chegou aqui com 22 semanas e saiu praticamente com 26, faltando apenas um dia”, explicou o coordenador do eixo crítico da unidade, o médico José Edvaldo.

Parto – Com parto previsto para a quinta-feira (9), a paciente apresentou alterações nos exames de ultrassonografia e a equipe médica do Huse decidiu antecipar o procedimento para quarta-feira, 8, após a realização de protocolos específicos para garantir a segurança da mãe e do feto.
Com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe), a paciente foi transferida para a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), considerada referência em partos de alto risco. A criança nasceu prematura de 26 semanas, de parto cesárea e pesando 580 gramas. Apesar da prematuridade, não houve nenhuma disfunção.

Doação de órgãos – O caso assistido pelo Huse é ainda mais raro porque, além de ser uma paciente com quadro de morte encefálica fechado, foi possível a preservação de órgãos graças ao trabalho desenvolvido pela equipe médica, permitindo a captação de órgãos com destinação prevista para os estados de Pernambuco e Ceará.
“Disponibilizamos os órgãos para a Central Nacional de Transplantes e foi aceito o fígado para Pernambuco. Então, a Força Aérea Brasileira disponibilizou uma aeronave para levar esse fígado para Recife. Já os rins, após a elaboração da logística, será possível a destinação do rim esquerdo para o Ceará e o direito também para Pernambuco. As córneas serão transplantadas aqui mesmo em Aracaju”, informou o coordenador da Central de Transplante de Órgãos de Sergipe, Benito Fernandez.

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade