**PUBLICIDADE


Gol contra


Avatar

Publicado em 09 de fevereiro de 2024
Por Jornal Do Dia Se


O confronto entre Sergipe e Confiança, o maior clássico do futebol sergipano, último domingo, deveria ser lembrado apenas pela excelente partida disputada em campo. Casa cheia, as arquibancadas do Batistão tomadas pela torcida dos times mais queridos do estado, gols marcados dos dois lados. Infelizmente, fora de campo, marginais cobertos com as cores dos times sergipanos mancharam a festa com sangue.
Mais uma vez, torcidas organizadas deram guarita a criminosos. De acordo com a Polícia Militar, a ocorrência foi registrada no terminal de ônibus do Distrito Industrial de Aracaju (DIA), fora do perímetro da operação elaborada para o jogo. O confronto teve saldo de três homens enviados ao hospital. Um destes, integrante da Trovão Azul, um jovem de 24 anos, morreu ontem.
Casos como este não são novidade. Ano passado, o JORNAL DO DIA noticiou confrontos semelhantes, registrados nas cidades de Itabaiana, Barra dos Coqueiros, Socorro, e na própria capital, Aracaju. 
As providências para coibir a violência, no entanto, demoram. A cada novo episódio, o Poder Judiciário é acionado com a finalidade de punir os responsáveis, a fim de banir os marginais dos estádios. Mas a punição de casos pontuais não alcançam a raiz do problema: É preciso regular as torcidas organizadas, enquadrá-las, responsabilizá-las pelas ações de seus integrantes. 
Enquanto as torcidas organizadas admitirem bandidos de todas as laias e estirpes em seus quadros, infelizmente, devem ser tratadas como um caso de polícia, a bem do próprio futebol.
**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE