**PUBLICIDADE
Publicidade

POLÍTICA É PARA QUEM SABE CRIAR O FATO POLÍTICO


Publicado em 18 de novembro de 2021
Por Jornal Do Dia


* Rômulo Rodrigues

A mídia corporativa brasileira continua na sua pisada manca de querer inventar a verdade nos jornalões para depois propagar nos telejornais, como se fossem verdades verdadeiras, naquilo que é uma verdade inventada.

Então, ao contrário do fato político verdadeiro, enche as páginas dos decadentes impressos com invenções de verdades e que noticiam como factoides políticos e com isso, estão todos na UTI, no processo de intubações e só respiram algum Oxigênio porque servem como fontes de alimentação dos telejornais e rádios jornais que mantém viva a velha lição nazista de que uma mentira repetida mil vezes, se transforma numa verdade.

Um exemplo significativo: a Folha de S. Paulo, em um domingo de 1974 atingiu a marca de tiragem de 500 mil exemplares, em um único dia, recorde alcançado numa população de pouco mais de 90 milhões de pessoas e quase meio século depois, numa população de 220 milhões, somando as tiragens de todos os principais jornais do país, não consegue alcançar aquele feito.

É claro que os donos atuais desses jornais são grupos econômicos que desprezam as notícias reais, porque têm objetivos comuns bem definidos; enganar as populações, mentindo, distorcendo as notícias e substituindo o fato político pelo factoide.

Dois exemplos; o jornalista ÉlioGaspari, de um jornalão, acusou o PT de ter dado apoio a Daniel Ortega na eleição da Nicarágua, quando quem mandou uma congratulação foi um dirigente do partido.

A Globo emprestou uma fonoaudióloga para assessorar Sergio Moro na sua escalada a presidente da República, na surdina, e segundo o cartunista Agripinus, é para ele falar uma mistura de vozes do Merval Pereira, da Miriam Leitão e do William Bonner.

A mesma Globo dá destaque de absurdo para Vagner Moura comendo um acarajé com camarão, doados por uma ativista, servido num acampamento do MSTS, e ignora pessoas correndo atrás do caminhão de lixo para pegar restos de comida estragada, por culpa do governo que impuseram ao país.

Os retratos desfocados do momento são os tratamentos tendenciosos dados em forma de notícias sobre o presidente de fato e suas vergonhosas andanças pela Arábia Saudita, onde rasteja cheio de sabujices, vociferando mentiras que não causam o menor impacto positivo, ostentando hospedagem de R$ 86 mil por diária de hotel de luxo, por apartamento, em Dubai, onde passeia pelas ruas com a comitiva de filhos e bajuladores e com o repugnante posto Ipiranga oferecendo o que restou da Petrobrás, tal e qual um mascate que faz malabarismos para levar algum para casa e a mídia corporativa noticia , sem denunciar,porque interessa ao mercado, cujo grande feito foi levar na comitiva o desembargador que vai julgar as rachadinhas da família.

Ao mesmo tempo, o presidente de direito, que foi preso pela quadrilha de Curitiba, para não disputar e ganhar a eleição de 2018, faz um leque de visitas em importantes países da Europa como Alemanha, Bélgica, França e Espanha e é saudado como grande estadista, se cacifando para quando voltar ao comando do pais, recoloca-lo nas agendas do G-7+1 e G-20, com uma pauta de civilidade, desenvolvimento e paz, conforme demonstrou no discurso no parlamento europeu, na Bélgica, sendo aplaudido de pé por deputados de 28 nações.

Antes, na Alemanha, reuniu-se com o novo primeiro ministro e com os principais líderes dos partidos que compõem a coalisão de governo, firmando compromissos que as antigas parcerias econômicas vão voltar e que o bloco europeu, junto com o BRICS, estará atento às tentativas de golpes de generais financiados pela CIA.

Voltando à Bélgica, o presidente Lula teve encontro com a maior liderança dos movimentos sociais e deu uma entrevista coletiva que foi transmitida e retransmitida ao vivo para 346 veículos de notícias de toda a Europa.

Como já era esperado, o partido midiático não dá uma única nota de rodapé nos seus impressos e os veículos de comunicação de massa ignorampor completo o estrondoso sucesso internacional do maior líder brasileiro, que já se reuniu com Zapatero, grande líder da Espanha, onde encerrará seu roteiro de visitas, cujas discussões dos problemas que afligem a humanidade ganha contornos de uma COP26 paralela.

Para a imprensa do mundo todo, exceto o Brasil, não há a menor comparação entre o presidente Lula e o propagador de fake News, que em Dubai, passa uma imagem que envergonha e mancha a liturgia de um cargo de presidente da República de umpaís que já foi a 6ª economia do mundo e precisa voltar a ser.

Em Paris, Lula foi recebido em jantar pela prefeita da cidade que já lhe deu o título de cidadão emérito e foi saudado efusivamente na sua entrada no Science Po.

A grande diferença que a imprensa corporativa faz questão de ignorar é pura e cristalina: Lula produz grandes fatos políticos para o Brasil; Bolsonaro produz vergonhosos factoides. A mídia patronal prefere o factoide; a não notícia.

* Rômulo Rodrigues é militante político

**PUBLICIDADE
Publicidade


Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE
Publicidade


**PUBLICIDADE
Publicidade