**PUBLICIDADE
Publicidade

A TRAGÉDIA NÃO EXISTE PARA A DIREITA, ELA É A TRAGÉDIA


Publicado em 23 de maio de 2024
Por Jornal Do Dia Se


* Rômulo Rodrigues

O que vem acontecendo no estado do Rio Grande do Sul há duas semanas com números grandes de morte e desaparecidos, despertou a solidariedade do País inteiro, mas, a direita age como se não houvesse o que chorar e o que socorrer.
Os fatos que são noticiados e mostrados estão aí para serem analisados; com isenção podemos dizer que o Partido Midiático comandado pelo sistema Globo que bem engana os incautos com seu jeito aparentemente sincero, age por trás das câmeras, ativamente no campo mais tenebroso da política e manda Luciano Huck, seu fiel escudeiro, dar um jantar para o presidente do Banco Central Roberto Campos Neto e o governador de São Paulo Tarcísio de Freitas, com o claro interesse de manter em armas, todos os seus grupelhos de fanáticos movidos e alimentados pelo ódio.
No campo real da tragédia o governador gaúcho Eduardo Leite, do PSDB, aparece, tudo combinado, admitindo pesarosamente, ter sido alertado sobre as enchentes, mas, o governo tinha outras prioridades acima da vida dos compatriotas, como cuidar da pauta fiscal, para adoçar as bocas famintas do mercado.
Com a cara mais cínica do mundo reconhece que estudos lhes foram enviados por técnicos competentes do governo apontando em 2020 todos os perigos, existentes e futuros e, mesmo assim, executou 480 medidas ambientais que formam as causas e efeitos dos desastres de 2024.
Aliás, ele e Aécio Neves, são do PSDB e têm todo apoio da mídia corporativa para jurarem de pés juntos que não fizeram e não fazem nada para destruir o Brasil e sua economia desde fevereiro de 2015; ou seja, 9 anos trabalhando contra o povo e o País e, na hora maior da desgraceira que causaram, são tratados como cidadãos de bem.
Vejamos uma grande contradição que vem à tona no meio da tragédia; o aeroporto de Porto Alegre foi privatizado, e a empresa que o gerencia é quem ficava com todo o fabuloso lucro.
Agora, nas enchentes, está especulando, compungidamente, largar a concessão para o estado assumir os prejuízos, sacrificando, ainda mais, o povo, que está vivendo seu inferno astral.
Uma lição que deixam para todos: Privatização é assim, quando dá lucro, este fica todo para o investidor ladrão, quando dá prejuízo, ele declara que não tem teto fiscal e, mesmo dizendo que todos são iguais, se julgam mais iguais que os outros.
Está claro que muita gente lá do sul e sudeste está se lixando para a tragédia que bate às suas portas, há notícias que cidades como Sorocaba em São Paulo, Balneário Camburiú, Blumenau, Criciúma, Chapecó, São José, Rio do Sul todas do estado de Santa Catarina, estão adotando práticas abomináveis de expulsarem moradores de ruas para fora dos seus limites.
Voltando ao trio Luciano, Tarcísio e Campos Neto, e o vemos a pleno vapor nas práticas usuais de supremacia branca que agrada a grandes parcelas do povão, sempre ávidas por heróis de ocasião.
Luciano Huck, o mais besta dos 3, sempre acredita que um dia vai ser a alternativa da direita para governar o Brasil; nunca será porque o baronato não tem outro para por no seu lugar para distribuir pão e circo para a plebe ignara nas tardes de domingo.
Roberto Campos Neto sabe que seu papel atual é continuar a estrangular a economia do País sob as ordens do Deus mercado com quem combina tudo e avisa para os amigos do Partido Midiático para criarem as devidas narrativas.
Já o governador Tarcísio de Freitas, tenta acumular créditos na corrida presidencial de 2026 intensificando e dando promoções aos esquadrões da morte da PM sob seu comando, que nos últimos cinco anos já causou mais de 3.800 mortes, dentre elas, mais de 200 no seu governo.
Pelo tamanho da bancada da bala no congresso nacional, o clima de terror difundido par as populações mais desassistidas vem surtindo o efeito desejado.
O último ato de Tarcísio foi mandar a PM espancar e prender estudantes das escolas militares que protestavam contra os salários de PMs aposentados serem maiores que os dos professores.

* Rômulo Rodrigues, sindicalista aposentado, é militante político

**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade