**PUBLICIDADE
Publicidade

O SIONISMO EXTERMINADOR DE PALESTINOS


Avatar

Publicado em 23 de dezembro de 2023
Por Jornal Do Dia Se


* José Eloízio da Costa
 
Não podemos mais ficar calados. A imprensa ocidental e o lobby sionista têm bloqueado os horrores provocados pelo Estado Sionista de Israel. Uma matança em escala industrial. Em pouco mais de 70 dias após o inicio do genocídio na Faixa de Gaza, são mais de 20 mil mortos, mais de 70% crianças e mulheres (para atingir a capacidade reprodutiva). Essa estatística já representa quase 1% da população palestina de Gaza, é como mais de 2,3 milhões de brasileiros fossem mortos em pouco mais de dois meses. O assustador é o mundo assistir o genocídio passivamente, em tempo real, pelos smarthones e com apoio incondicional dos Estados Unidos e dos países decadentes da União Européia. Que os direitos humanos e o direito internacional sejam jogados na lata de lixo, isso não serve para o Estado de Israel, que está acima da lei.
Após décadas de massacre contra os palestinos, o quadro atual talvez seja o mais definitivo para Israel organizar seu projeto de formar a “Grande Israel”, com apoio do sionismo cristão. A Israel bíblica, do “povo escolhido”, da “terra santa”, da “terra prometida” e outras narrativas ideológicas chegaram no seu momento crucial. E o preço será alto, com matança generalizada dos palestinos, destruindo sua infraestrutura, escolas, hospitais, templos religiosos; isolando Gaza, matando a população de fome, sem energia e água. Mas o mundo ignora, porque Israel tem que cumprir as profecias da Bíblia, com apoio de milhões de cristãos, principalmente de evangélicos.
O relevante para o mundo ocidental é Israel ter o direito de “autodefesa” matando todos os palestinos. O que demonstra a decadência ocidental e a destruição de valores morais e humanitários. Que força moral o imperialismo agora poderá afirmar que a Venezuela é uma ditadura, ou a Coréia do Norte e Cuba também são? Esses tempos acabaram, além da desmoralização completa do Tribunal Pena Internacional, ligeiro para condenar Putin ou Melosovic, mas lento para criminalizar o carniceiro de TelAviv.
Mas não importa. Com o extermínio absoluto dos palestinos ou sua expulsão da “Terra Santa” é o cumprimento da profecia, na qual estaremos preparados para a vinda do Messias, bem como da Ressurreição de todos os cristãos. A grande Israel será construída sob um grande cemitério de palestinos, principalmente de crianças. Mas esses são filisteus ou gentios, merecem morrer.
Entretanto, o preço das atrocidades de Israel também será alto. O país nunca esteve tão isolado, e com possibilidade da guerra estender por diversas frentes. A tutela dos Estados Unidos com as duas banheiras nas águas próximas a Israel (porta-aviões) lhe dá segurança para continuar com a matança. O que torna um tanto ilusória, porque foguetes do Grupo Hezboolah podem ser lançados, afundando esses barcos em poucos minutos. 
Vamos a um cenário. Com o final da guerra, Israel voltará a ter paz? Protegido pelo imperialismo decadente (mais ainda forte) e cercado por inimigos furiosos e bem armados, como o país irá sobreviver? Como o Estado não obedece regras, os outros também não irão cumprir e aí a escalada da guerra será natural. Irá faltar jovens sionistas para defender, porque o país tem sofrido pesadas perdas no confronto com o Hamas, mostrando que o exército israelense é eficiente para matar civis, mas no confronto com a milícia palestina a questão é outra, até porque os soldados sionistas usam até fraldas descartáveis.
Por outro lado, é lamentável a esquerda brasileira, em especial do PT em relação a essa quest]ao. Nunca pensei que tivéssemos tanto sionistas entre suas fileiras. São mais de dez semanas de genocídio e o Partido não se manifesta ou participa de manifestações pro-Palestina. É um silêncio inaceitável. Estamos assistindo ao vivo a matança e o partido e seu presidente apenas proferem bravatas morais que não param a maquina assassina de Israel. Tem que a ver medidas concretas e seus principais representantes, como o ex-ministro José Dirceu afirmou que este “assunto é irrelevante”. Tanta hipocrisia e falta de coragem. A esquerda esta contaminada pelo sionismo.
O sionismo tornou-se a grande ameaça da humanidade, por ser violento pela sua própria natureza. O que esse perigoso movimento nazista seja extirpado da superfície terrestre, ou a humanidade irá desaparecer, até porque os atuais governantes do Estado terrorista são psicopatas e matar palestinos e roubar suas terras são suas metas.
 
* José Eloízio da Costa, doutor em Geografia Agrária (UNESP-Rio Claro/SP). Professor Titular do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Sergipe.
**PUBLICIDADE



Capa do dia
Capa do dia



**PUBLICIDADE


**PUBLICIDADE
Publicidade